top of page

Paris e Berlim apostaram na reestatização dos serviços de saneamento

Por Brasil 247| 05 de junho de 2024


Foto: Reprodução / Benoit Tessier / Reuters


247 - Cidades como Paris e Berlim reverteram suas privatizações por causa de falhas em modelos regulatórios estabelecidos pelo poder público. Grandes capitais europeias concederam a prestação de seus serviços de água e esgoto à iniciativa privada nos anos 80 e 90. Em nível global, foram 235 remunicipalizações de serviços de água e esgoto no período 2000 a 2015 que atendiam a mais de 100 milhões de pessoas. Em 2020, eram 311, número que subiu para 364 até agora, em 2024. Foi o que apontou Lavinia Steinfort, geógrafa política e pesquisadora do Transational Institute, uma das instituições por trás da Public Services.


Algumas das causas da reestatização do saneamento na Europa foram críticas à qualidade dos serviços, aumento de tarifa, modelagem contratual errada e atuação fraca dos mecanismos de controle. Os relatos foram publicados nesta quarta-feira (5) pelo jornal Folha de S.Paulo.

コメント


bottom of page