top of page

DF se destaca por economia e sustentabilidade na gestão de resíduos de obras

Por Agência Brasília | 17 de junho de 2024


Foto: Reprodução/Divulgação/SODF


Um exemplo é a construção do Viaduto Engenheiro Luiz Carlos Botelho Ferreira, localizado na Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig). Lá foram escavados aproximadamente 127 mil metros cúbicos de terra. Destes, mais de 70% foram reaproveitados, seja na própria obra, em projetos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), como a terceira saída de Águas Claras, seja em obras de revitalização de parques, como o Burle Marx, gerenciadas pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram).


Além da terra, cerca de 15 mil metros cúbicos de resíduos de demolição foram gerados durante as obras. Estes resíduos foram divididos em duas categorias principais: pavimento (asfalto), conhecido como “fresado”; e concreto proveniente de calçadas e outras estruturas. O fresado foi reutilizado na recuperação de vias rurais e estacionamentos, enquanto o concreto foi encaminhado para a Unidade de Recebimento de Entulho (Ure), onde foi reciclado para uso em outras obras do governo.


Comments


bottom of page